Dexter : Início do fim (última temporada estreia amanhã)

dexter

«Dexter» estreou na TV pelo canal à cabo Showtime em outubro de 2006, e ao longo de suas sete temporadas, com cerca de 12 episódios cada, mostrou a história do analista de manchas de sangue em cenas de crime, Dexter Morgan (Michael C. Hall), perito do fictício distrito policial Miami Metro, e que também nas horas vagas é assassino em série.

Inspirado no romance «Darkly Dreaming Dexter», do novelista Jeff Lindsay, e adaptado para a televisão por James Manos Jr, a aclamada produção televisa segue caminho diverso da série de livros sobre o personagem (e que no total são sete) a partir do seu segundo ano, e inicia no próximo dia 30 de junho sua oitava e última temporada.

Sucesso de crítica e de público, o grande atrativo da série é exatamente o que diferencia o personagem título de um serial killer comum e que o torna, ao mesmo tempo, um anti-herói.

Dexter-HQ-Wallpaper-dexter-11948329-1920-1080

No episódio piloto, por exemplo, somos nos seus instantes iniciais apresentados a Dexter Morgan sob a trilha «Psycho Killer» do grupo Talking Heads, quando da captura de uma suposta vítima sua. Antes que possamos repudiar o final que lhe é reservado, no entanto, somos introduzidos aos motivos para tamanha violência: ele é um assassino em série tão cruel quanto o próprio Dexter. E é esse o grande charme da narrativa que envolve a trama da série: temos um personagem que é um serial killer que faz justiça com as próprias mãos, eliminando outros assassinos em série que cruzam seu caminho. E como ele faz isso? Simples: ele é um serial killer, portanto, sabe mentir com perfeição, sabe exatamente como outros iguais a ele agem, é especialista em cenas de crime, e coleta e adultera pistas e provas no departamento de homicídios em que trabalha.

Ao longo dos primeiros anos da série, ainda, somos cativados pelo personagem quando nos é apresentada sua relação com seu pai adotivo. Dexter, de fato, foi vítima de violência quando muito pequeno: ele viu sua mãe ser morta de forma brutal, e logo depois foi adotado pelo policial que o salvou, Harry Morgan (James Remar). Ao descobrir desde cedo a natureza sócio-psicopata do menor, Harry decide agir de forma completamente inesperada para quem é um respeitado e experiente policial: ele passa a treinar Dexter a focar seu desejo de morte naqueles que realmente o merecem, quais sejam, assassinos impulsivos e incontroláveis, tais como ele próprio. Vemos essas cenas, da interação de Dexter ainda jovem com Harry, em flashbacks no decorrer das primeiras temporadas.

Dexter

Mas na série, Harry já é falecido, portanto não está mais por perto para fazer valer suas regras de ouro junto a Dexter, e que o proibirem irremediavelmente de ferir qualquer inocente ou quem não se enquadre no seu padrão de extermínio, e este tem agora que continuar firme com seus propósitos, ao passo em que mascara uma vida normal ao lado da namorada Rita (Julie Benz) e da irmã Debra (Jennifer Carpenter). Ocasionalmente, no entanto, somos testemunhas de «diálogos» entre Dexter e seu falecido pai, o que nada mais representa do que a sua própria consciência e o conflito entre o que ele é e o que ele deve ser.

dexter-harry 2

E tão extasiante quanto ver como o personagem título lida com sua vida dupla, ocultando como um verdadeiro artista que ele é a verdade a seu respeito, interagindo e dialogando com seus interlocutores de modo a conferir um senso o mais «normal» possível quando está longe de ser, tem ainda o fator narrativo da trama, que é deleitável, tal como se verifica nos vídeos abaixo, com duas coletâneas de alguns desses melhores momentos:

Muito mais empolgante quanto a impecabilidade dos diálogos, é ver Dexter em ação nas tramas e subtramas que se estendem ao longo de cada temporada e que conduzem sempre a um desfecho surpreendente ao final.

icetruckkiller

No primeiro ano, por exemplo, somos introduzidos ao vilão que efetivamente é tratado no primeiro romance de Lindsay, «Darkly Dreaming Dexter»: o chamado «the ice truck killer», ou «o assassino do caminhão de gelo». Fascinado com o estilo do assassino em série que vem incomodando a polícia de Miami na temporada de estreia, e que decepa de forma artística membros de prostitutas, Dexter sai ao seu encalço para saciar sua sede por sangue. Mas para alcançar seu objetivo, que é capturar o serial killer, tal como nos anos seguintes, ele sempre precisa ser mais ágil que o próprio departamento. E há grandes detetives no Miami Metro que comprometem seus anseios, como James Doakes (Erik King), que inclusive tem grande desconfiança de Dexter, a ponto de cercá-lo e persegui-lo diversas vezes, e sua própria irmã, Debra, que acaba eventualmente sendo promovida ao cargo de detetive por conta de sua perspicácia natural.

A carga emocional e o formato da narrativa contribuem significativamente para que o telespectador não consiga se desvencilhar da série. Desprovido de sentimentos, o psicopata Dexter confronta fantasmas do passado e precisa conciliar uma vida que ele gostaria de não ter, mas da qual precisa para ocultar quem ele verdadeiramente é. O final da primeira temporada é bastante esclarecedor quanto à natureza do personagem título.

E17TVa

A segunda temporada não apresenta um nemesis à altura do precedente, mas mostra a realidade dos problemas que Dexter pode vir a ter quando um agente especial do FBI chega à cidade para investigar o «Bay Harbor Butcher» tão logo são encontrados todos os sacos com os restos humanos das «vítimas» de Dexter lançadas ao mar. O padrão Morgan é descoberto quando identificadas a maioria das vítimas como assassinos em série, e a caçada ao autor das mortes tem início. Nesse meio tempo, Dexter se envolve amorosamente com uma piromaníaca (Jaime Murray), e Doakes está cada vez mais perto de descobrir a verdade a seu respeito, ao passo que o prestígio de Debra é crescente no distrito, ainda que sua supervisora, Maria LaGuerta (Laura Vélez), sempre seja um obstáculo para sua ascensão profissional.

DEXTER (Season 3)

A terceira temporada inova quando Dexter é implicado na morte do irmão de um famoso promotor de justiça, Miguel Prado (Jimmy Smits). Descoberto, no entanto, ele lida com uma situação totalmente inesperada: o promotor o admira, e assim como Dexter, tem desejo por igualmente fazer justiça com as próprias mãos. E o protagonista se vê com um inusitado «parceiro» e novo amigo, a despeito dos «conselhos» de Harry. Tudo foge ao controle, porém, quando Prado se excede ao eliminar uma adversária sua nos tribunais. Paralelamente, Dexter também vira pai quando Rita lhe revela estar grávida, e os dois se casam.

dexter_trinity

A quarta temporada de Dexter é talvez uma das melhores ao lado da primeira, segunda e sexta, e mostra um verdadeiro nemesis para o protagonista; méritos, provavelmente, do próprio ator convidado (John Lithgow), intérprete de Arthur Mitchell, também conhecido como o assassino em série Trinity. A trama começa quando um novo serial killer começa a incomodar o departamento de homicídios, e não demora muito para Dexter descobrir o padrão, o histórico e a identidade do autor dos crimes. É quando ele começa a interagir com o assassino, aproximando-se dele até chegar o momento em que pretende finalmente matá-lo. Mas como nos anos anteriores, Dexter comete alguns erros e tarda a agir na esperança de compreender esse psicopata que se encontra na ativa há tanto tempo, e a situação escapa de seu controle, a ponto de um desfecho inesperado.

dexter-lumen

A quinta temporada é a reviravolta decorrente da anterior. Agora viúvo, Dexter segue a vida com o filho pequeno, e ao mesmo tempo em que teme seja o rebento herdeiro do gene psicopata que o impede de ser uma pessoa normal, tem ainda que lidar com uma situação nova e inesperada: é flagrado por Lumen (Julia Stiles), vítima de uma quadrilha de estupradores e assassinos liderada por Jordan Chase (Jonny Lee Miller), que deseja vingança e procura sua ajuda. É nesse ano que Debra ganha mais força como personagem, tornando-se uma proeminente investigadora, e o cerco não apenas contra a quadrilha, mas também seus executores (Dexter e Lumen) se fecha. Obviamente que, tal como nas temporadas anteriores, o final é decisivo.

dexter season 6

Considerada por muitos como uma das melhores, a sexta temporada mostra um lado novo de Dexter: sua reação frente ao embate lógica e religião numa história de caça às bruxas com enredo fantástico que se estende de forma instigante até o episódio final. Pragmático, o serial killer favorito dos fãs da série passa a lidar com um novo maníaco em Miami que segue a risca conceitos do Antigo Testamento do Livro Sagrado: o «Doomsday». Enquanto se aproxima da descoberta da identidade da nova dupla de assassinos em série (Colin Hanks e Edward James Olmos) antes que cumpram sua profecia de destruição em massa, Dexter encontra a ajuda de um ex-condenado e agora evangelizador: Brother Sam (Mos Def). Mas o personagem título também passa a ser assombrado pelo fantasma de seu irmão, que toma o lugar de Harry, atiçando-o a encorajar seu «Dark Passenger» rumo a uma busca desenfreada pelo suposto Trinity (sendo ele o único a saber que este já está morto), atormentando-o a matar inocentes. Esse deslize acaba deixando pistas para Debra, compromente ainda a segurança de seu filho, e o final é arrebatador.

Episode 701

A sétima temporada é talvez uma das mais fracas para a maioria dos fãs, mas não deixa de ter bons momentos. Com um enredo mais complexo, que tem por trama principal a chegada do ex-condenado chefe do crime organizado ucraniano (Ray Stevenson) que busca vingança pelo desaparecimento e morte do membro do seu grupo, tem ainda o arco que envolve uma perigosa assassina com quem Dexter acaba se envolvendo (Yvonne Strahovski), o fato de que ele deve agora lidar com a ideia de compartilhar sua vida dupla e a verdade a seu respeito com sua irmã Debra, e também as investigações de Maria LaGuerta que podem levá-la a descobrir a verdade sobre o personagem título, quando esta desenterra o caso do «Bay Harbor Butcher» após descobrir uma pista de que seu ex-amante James Doakes seria inocente. O final é morno, apesar de um desfecho surpreendente que cria um abismo entre o casal de irmãos, e dá alguns indícios de como poderá ser o oitavo e último ano da série.

Apesar dos altos de baixos, «Dexter» é uma produção de bastante qualidade, e o elenco é extremamente competente. Michael C. Hall, o grande astro que personifica com abnegação o personagem que odiamos amar, desempenha aqui com maestria um de seus melhores trabalhos, a despeito do linfoma que o acometeu entre a quarta e a quinta temporada e do qual já está recuperado, lembrando ainda que o ator já havia anteriormente protagonizado o papel igualmente controvertido de um dos membros da família Fischer na também aclamada «Six Feet Under». Jennifer Carpenter e James Remar, como a irmã e o pai adotivo de Dexter, são também impecáveis.

O elenco de suporte não fica atrás: assim como Laura Vélez (como Maria LaGuerta), David Zayas (como Angel Batista), C.S. Lee (como Masuka) e Desmond Harrington (como Quinn) também conseguem desviar a atenção da audiência com as subtramas por vezes polêmicas, para não dizer politicamente incorretas – prova de que ninguém no universo de Dexter é perfeito.

Fica agora a dica para o que está por vir na última temporada: considerando a possibilidade de que a produção televisiva é completamente independente da série de livros de Jeff Lindsay, na qual o personagem segue com sua vida dupla, será que Dexter terá o mesmo destino, qual seja, continuar a fazer o que sempre fez, ou terá ele um final trágico com a perda de controle do seu «Dark Passenger»?

season finale

A oitava e última temporada de «Dexter» começa amanhã (30 de junho), pelo Canal Showtime, a partir de 9 PM ET/PT.



Categorias:Danielle Lenzi, Seriados, TV

Tags:, , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: