Review do episódio #1.06 de Under the Dome

The Endless Thirst

Talvez um dos episódios mais sem sentido de «Under the Dome», «The Endless Thirst» mostra o despreparo da equipe de roteiristas com uma trama de ficção científica para a televisão, ainda que se tenha em mãos uma história, senão excelente ao menos bem escrita pelo mestre do gênero do horror. Claro, a premissa de adaptar para live-action o que até agora só se viu no longa-metragem de animação «The Simpsons» é não apenas bizarro como sem noção. E no final das contas, o amadorismo dos próprios responsáveis pelo enredo da adaptação talvez se preste mesmo como referência à desorganização instaurada na fictícia Chester’s Mills.

«The Endless Thirst» começa logo depois da explosão havida no episódio precedente, quando então tudo do outro lado da redoma foi destruído, e o escudo invisível que isola a cidade do resto do mundo permanece intacto. É quando os habitantes começam a se questionar acerca da possível falta de suprimentos. Ok, seis semanas depois, e ninguém havia se dado conta disso?

Linda encontra o corpo do Revendo Lester (Ned Bellamy), mas a última coisa que a xerife tem no momento é tempo para investigar. A cidade está em alvoroço, principalmente após Alice (Samantha Mathis), uma das mães de Norrie (Mackenzie Lintz), acometida por uma crise de diabetes, provoca um acidente causando a colisão de um caminhão contra a torre de água da cidade. Agora, temendo a falta de comida, os habitantes de Chester’s Mills sabem que as coisas ficarão mais complicadas sem água. E a confusão está armada.

Claro que a cidade não conta apenas com uma torre de água para sustentá-la, e Barbie (Mike Vogel) e Linda (Natalie Martinez) vão até o lago, para então descobrir que todos os seus peixes estão mortos em decorrência da contaminação de metano causada pelo míssil lançado contra a redoma. Logo, a água do lago é inconsumível até que se possa filtrá-la.

Big Jim (Dean Norris) decide então visitar um fazendeiro local dono do único poço artesiano nas redondezas, mas o velho carcamano não quer saber de negociar com o empresário depois que perdeu sete acres de sua propriedade num conselho local em que Jim votou a seu desfavor. Mas os dois acabam chegando a um consenso quando Jim lhe oferece propano em troca da água.

Nesse meio tempo, Julia (Rachelle Lefevre) sai em busca da origem de uma estranha frequência vinda diretamente de dentro da redoma e que foi constatada na rádio local, o que a leva a Joe (Colin Ford) e Norrie, que, por sua vez, estão rastreando por meio da uma relação roubada do hospital todos os pacientes com diabetes a fim de roubar insulina para salvar Alice, já que o estoque está zerado. A adolescente consegue um frasco apenas, salvando sua mãe, o que, como se sabe, não será suficiente para os episódios futuros.

Ainda, o drama de Angie (Britt Robertson) parece não ter fim. A garota está mesmo fadada à desgraça, levando consigo todos à sua volta. Mais uma vez ela foge de Junior (Alexander Koch), e no meio da confusão que se instala na cidade, encontra abrigo na cafeteria de Rose. Nisso, a cidade já está um caos. O pavor causado pela eventual falta de água faz com que todos percam a cabeça. As pessoas começam a vandalizar, e Linda está só, e conta com a ajuda apenas de Junior, Barbie e Jim para tentar apaziguar os ânimos da população. Só que é chegado um momento em que só falar não adianta mais, e todos caem na pancadaria, e até mesmo Barbie, que recusa o distintivo de autoridade policial que lhe é oferecido por Linda, quase esgana um morador que lhe acertou uma bofetada em cheio no meio da cara.

Cidade sem água, e cidade sem lei, Chester’s Mills também se torna o lugar preferido para assassinos e estupradores, como quando uma dupla invade a cafeteria de Rose, e um deles não apenas mata sua pobre proprietária com um taco de baseball, como também tenta estuprar uma inconsciente Angie. A garota parece mesmo despertar o que há de pior em qualquer um. Felizmente, Barbie chega a tempo para salvá-la, e sorte que Junior não a viu nos braços do herói.

Quando Linda está finalmente preparada para usar poder de fogo contra a multidão, uma chuva intensa começa a cair. Todos parecem então voltar ao normal (?), e começam a providenciar recipientes para abastecê-los com água. Ninguém é levado à delegacia, apesar dos inúmeros delitos e crimes havidos, e tudo segue como se nada tivesse acontecido, para ao final ainda descobrirmos que a água do lago foi evaporada para então se transformar em chuva, sendo, portanto, segura de consumo. Impressionante! Melhor que isso seria se Angie voltasse do desmaio com amnésia!

Julia, ainda, testemunha o fenômeno entre Joe e Norrie quando os dois tocam ao mesmo tempo a redoma, e o rádio do carro começa a funcionar, e sabendo agora que os dois tem alguma coisa de especial, decide guardar segredo temendo a reação de todos, para então depois se encontrar com Barbie e finalmente quebrar a tensão com um beijo apaixonado em meio à tempestade sem fim, não sem antes chegar à conclusão de que a redoma os protege, pois não apenas os impediu de serem dizimados pelo míssil, como também proporcionou chuva quando precisavam.

Na casa de Big Jim, Angie acorda do desmaio, e ele lhe diz que ela está livre para ir embora, mas lhe propõe guardar segredo de tudo o que houve entre ela e Junior, revelando que está ciente do estranho comportamento do filho que já vem desde a morte de sua mãe. Em troca, ele lhe oferece propano, comida, água e até mesmo uma arma, mas a garota diz que vai pensar a respeito, e é nesse momento que Junior chega em casa.

Não foi um episódio soberbo, como se nota, e não diferentemente dos anteriores (à exceção do piloto), porquanto repleto de lacunas e falhas, como não poderia deixar de ser em uma série de ficção científica, mas, convenhamos, que «The Endless Thirst» rendeu algumas boas risadas pela falta de logicidade e maturidade para algumas situações abordadas na trama principal do episódio. Ora, demorou muito tempo para as pessoas se darem conta do perigo da falta de suplementos na cidade por conta da redoma e da ausência de contato com o mundo exterior. Tão estranho quanto isso, é ver que do pavor da fome e da sede as pessoas acabam se tornando assassinas e estupradoras. E pior: a cidade está sem rédeas, e pessoas sairão impunes, o que, obviamente, acarretará mais crimes.

Claro, tudo fica bem mais fácil de entender se considerarmos o universo de William Golding com seu «O Senhor das Moscas», e que se prestou como premissa e nascedouro para a também série de ficção científica «Lost» (longe de comparar). Afinal, temos ai um grupo de pessoas confinado num ambiente hostil, com situações peculiares, e capazes de fazer com que o melhor e o pior de cada um venha à tona. Nesse cenário, portanto, pouco acaba importando quem você é, o que faz, seu background, etc. Só que num determinado momento, novas regras precisarão ser impostas a fim de que essas mesmas pessoas possam continuar a viver com um mínimo de organização, caso contrário o caos estará instalado. Talvez seja ai que tenhamos o fortalecimento de Big Jim na série.

E que venham os próximos episódios, nos quais provavelmente ficaremos mais ainda sem respostas em relação à redoma, principalmente a julgar pela notícia da CBS de que «Under the Dome», que deveria ser uma minissérie, foi renovada para uma segunda temporada. Sinal de que, no final das contas, a audiência é boa… e isso sim é uma grande surpresa!

Anúncios


Categorias:Danielle Lenzi, Seriados

Tags:, , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: