Crítica – “Flores Raras””

flores-raras-posterFilme escolhido para abrir o Festival de Cinema de Gramado desse ano, Flores Raras de Bruno Barreto e produzido por Lucy Barreto e Paula Barreto  é protagonizado por Gloria Pires, Miranda Otto e grande elenco e foi baseado no romance “Flores Raras e Banlíssimas”de Carmem Oliveira sobre a vida da poetisa Elizabeth Bishop (Miranda Otto) que vem passar uma temporada no Brasil na casa da amiga Mary (Tracy Middendorf) que  a conhece da época da faculdade. Bishop passa a viver com a amiga e sua então companheira , a arquiteta Lota de Macedo Soares  (Glória Pires) em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

FLORES RARAS - Glória Pires e Miranda Otto _ credito Lisa GrahamPor conta do jeito tímido e contido de Elizabeth, Lota implica com a poetisa a princípio achando que ela era rude e distante, antes de se apaixonar por ela, mesmo estando em um relacionamento com Mary o que acaba se desfazendo depois que Elizabeth cede aos encantos da arquiteta, o que acaba gerando um conflito entre as amigas que vão se distanciando cada vez mais ao longo do filme enquanto que o relacionamento entre Lota e Bishop vai se fortalecendo apesar de Elizabeth começar a mostrar tendências para o alcoolismo, especialmente quando começava a se sentir insegura ou infeliz.

Passado na década de 50, o filme mostra como Lota criou e idealizou  o Parque do Flamengo  localizado no maior aterro urbano do mundo, com 1,2 milhão de metros quadrados, inaugurado em 1965 e que foi idealizado nos moldes do Central Park de Nova Iorque. O paisagismo do parque ficou por conta de Burle Marx que era um dos grandes amigos da arquiteta na época.

O filme que tem o inglês como língua principal do longa, mostra de uma forma poética e ao mesmo tempo avassaladora, o romance entre as duas mulheres sem cair no piegas. Miranda Otto consegue mostrar a fragilidade de sua personagem que acaba ficando dependente da personagem de Glória Pires que mostra sua personagem a mais máscula da relação que se mostra sempre disposta a controlar o relacionamento de ambas, querendo impedir inclusive que Elizabeth se ausente por um semestre longe dela por querer lecionar poesia nos Eua, o que acaba afastando as duas personagens que entram em conflito por conta disso.

Outro grande amigo de Lota na época era o então político Carlos Lacerda,

FLORES RARAS - Miranda Otto - datilografando _ credito Lisa GrahamA fotografia de Mauro Pinheiro Jr é uma das coisas mais belas vista em um filme nacional por conta das lindas locações em Petropólis especialmente na Floresta da Samambaia onde se passa boa parte da história de amor entre Elizabeth e Lota.  O roteiro de Matthew Chapman e Julie Sayres adaptado do livro conseguiu moldar bem essa história de amor que durou 16 anos durante a estada da poetisa no Brasil enquanto buscava inspiração para escrever.

Flores Raras estreia no dia 16 de agosto nas salas de cinema e está sendo distribuido pela Imagem Filmes no Brasil.

Anúncios


Categorias:Últimas Notícias, Cinema, Críticas

Tags:, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: