Review do episódio #8.08 de Dexter

ep8newpic3

Dando sequência ao episódio «Dress Code», «Are we there yet?» traz Dexter (Michael C. Hall) confrontando sua nova realidade num capítulo extremamente bizarro, para não dizer repleto de humor negro e cinismo.

Agora, acreditando de que Zach (Sam Underwood), seu protegé, matou Cassie (Bethany Joy Lenz), e que deverá lidar com o rapaz na certeza de que não poderá mais lhe ensinar o código de conduta de Harry (James Remar) sob a assertiva de que ele já era um assassino antes que pudesse vir a ser treinado e, portanto, incapaz de aprender qualquer conduta moral, Dexter tem ainda que decidir o que fazer com Hannah (Yvonne Strahovski), quando descobre, ainda, que não consegue ficar longe dela.

No começo do episódio, no local do assassinato de Cassie, Dexter descobre vestígios de sangue debaixo das unhas da vítima, e no laboratório tem a confirmação de que Zach é o assassino. Ao esbarrar em Quinn (Desmond Harrington), este lhe revela que suspeita do rapaz por conta da semelhança com o assassinato anterior, e pede que qualquer indício de seu envolvimento no crime lhe seja informado.

Na marina, Dexter encontra Hannah, e diz que vai conseguir um passaporte para que ela fuja do país o mais depressa possível, e ao descobrir onde encontrar Zach, convida-a para seguir viagem com ele até seu encontro.

Enquanto isso, após confrontar Dexter sobre Hannah, e descobrir que ele não pretende mesmo fazer coisa alguma contra ela, Deb (Jennifer Carpenter), informa Jacob (Sean Patrick Flanery) sobre uma recompensa de $250,000 pela sua captura, e que tem suspeitas de que ela ainda está na cidade. Os dois vão então até a marina para confrontar Hannah, mas o iate de Miles Foster (Julian Sands) não está mais lá.

A caminho de onde Zach está, Dexter revela tudo a respeito do rapaz para Hannah, informando ainda a existência de Evelyn Vogel (Charlotte Rampling), bem como as circunstâncias que os levam até a captura do garoto, agora foragido. Ao chegar no hotel onde Zach está, Dexter descobre que seu quarto está todo revestido de plástico, e que ele tem um arsenal de facas semelhante ao seu. Quando o rapaz chega, Dexter o confronta junto de Hannah. Zach então revela nada saber sobre a morte de Cassie, e comprova o álibi de que esteve à procura de um assassino e que pretendia aplicar-lhe o código. Com o tal assassino morto no porta-malas do carro, Dexter e Zach saem para se livrar do corpo, e Dexter descobre que o rapaz feriu os dedos com um risco à chave feito na porta do carro.

No trajeto de volta para o hotel Zach adormece, e Harry aparece para Dexter para mostrar como o rapaz se parece com ele quando mais jovem, e revela que a grande complicação de sua vida é Hannah, mas considera que agora que ela voltou, talvez ele tenha um desejo muito maior do que matar.

Enquanto isso, Hannah fica no hotel para arrumar o quarto, e Deb a surpreende após seguir Dexter através do rastreador implantado em seu carro. As duas se confrontam, e Hannah diz que só a levará se atirar nela. Dexter chega, e Deb percebe que os dois estão realmente juntos, e quando Zach aparece logo atrás dele, ela diz que não quer mais saber de coisa alguma, e vai embora, para, mais tarde, no escritório de Jacob, revelar que perdeu Hannah de vista, e que considera a ideia de voltar para a polícia.

Dexter leva Zach até o consultório de Vogel, e ao perceber Hannah no carro, a neuropsicóloga convida todos para jantar. Na mesa de refeições, a conversa é mórbida, e Vogel fala de hobbies, e quando Hannah pergunta como começou a se interessar pela sua área de atuação, a cientista desconversa. Vogel então puxa assunto com Dexter, e este revela estar confuso quanto ao assassinato de Cassie. Após examinarem as fotos, ele realmente considera a hipótese de que alguém sabotou o carro de Zach para que ele se ferisse e para depois plantar vestígios do seu sangue sob as unhas da vítima.

Mais tarde, Dexter deixa Hannah no hotel e lhe entrega o passaporte, questionando para onde ela pretende ir, e se ela vai lhe avisar onde estará. Os dois então não conseguem mais se conter e começam a se beijar para então acabarem na cama.

Em casa, Dexter entra e encontra o corpo sem vida de Zach sentado à sua mesa, com uma parte do cérebro arrancada da parte de trás de sua cabeça. Ele liga para Vogel, que, surpresa, segura um frasco com um pedaço de cérebro, o que pode (ou não) ter sido deixado por alguém em sua casa.

No dia seguinte, enquanto Jacob dá telefonemas sobre Hannah ainda estar em Miami sob a identidade de Maggie Foster, a loira está prestes a embarcar quando Dexter aparece e pede a ela que fique com ele. Os dois se abraçam.

Se os roteiristas pareciam nos dar boas pistas de como a série poderia terminar, agora somos mais uma vez vítimas de uma inusitada reviravolta.

Zach, que ora parecia um futuro promissor para Dexter, havia se tornado suspeito de assassinato, para, então, e novamente, tornar-se o rasgo de esperança para o serial killer quando este descobre que, inconscientemente, o garoto seguia o código de Harry, e que a despeito de algumas falhas, percorria o mesmo caminho que Dexter. Por outro lado, Hannah, que parecia uma ameaça, para então se mostrar inofensiva, definitivamente se tornou uma complicação na vida de Dexter, que acaba ficando desleixado junto à moça, portanto, vítima fácil de uma emboscada e descoberta sobre sua vida dupla. Deb, que começou a temporada tocando o terror, deu uma esfriada e ganhou novamente a confiança do irmão, mas agora, voltando para a polícia, pode mais uma vez comprometê-lo e a ela mesma. E Vogel, quando muito pouco já de desconfiava dela, agora volta com tudo, como quando desconversa o assunto puxado por Hannah, e não menos importante, é a última pessoa que vemos a sair de cena com Zach, que, por sua vez, acaba sendo morto, o que pode significar que o assassino que estava atrás da neuropsicóloga no início da temporada ainda está vivo, ou sempre foi ela.

O balanço final é de um episódio interessante, mas desgastante. Conferiu momentos estranhos, para não dizer completamente absurdos no universo de Dexter, com destaque, obviamente, para a viagem «em família» de Dexter com Hannah e Zach e, lógico, o jantar na casa de Vogel. Embora seja oficialmente a última temporada, o episódio parece ter sido feito às pressas, com resoluções rápidas demais, e não ficou claro o bastante quanto tempo se passou entre o encontro de Dexter e seu retorno ao apartamento para encontrar Zach morto ou ao menos ficou explicado como o frasco com o suposto pedaço de cérebro do rapaz parou na mão de Vogel. Sabemos agora que o assassino é muito eficaz quando se trata de certa parte anatômica do corpo, o que nos remonta ao primeiro episódio da temporada, no qual a neuropsicóloga demonstrou bastante eficiência no manuseio do cérebro humano.

Por fim, Harrison (Jadon Wells) desenhando zumbis: sensacional. Dexter com tantos problemas, e sem tempo para ver o que pode ser o maior de todos, e que está bem debaixo do seu nariz. Será essa a deixa para o grande final?

Anúncios


Categorias:Danielle Lenzi, Seriados

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: