A educação no contexto das novas tecnologias

Foto: Luis Ackerman

Foto: Luis Ackerman

Novas formas de ensinar dentro das escolas, levando em conta as tecnologias à disposição e o contexto em que vivem os estudantes nos dias de hoje; a possibilidade de divulgar conteúdos educativos nos moldes das redes sociais; os desafios das editoras universitárias no disputado mercado atual, e a criação de bibliotecas online com acervo digital. A segunda edição da Contec Brasil 2013, a Conferência sobre Educação e Tecnologia da Feira do Livro de Frankfurt,que aconteceu nesta sexta, 30, dentro da XVI Bienal do Livro do Rio de Janeiro, pensou possibilidades inovadoras de ensino e discutiu a situação atual da educação, com convidados nacionais e estrangeiros.

As palestras apresentaram uma série de alternativas para enriquecer o ensino dentro de sala de aula. Roberto Bahiense, por exemplo, falou sobre a Nuvem de Livros, uma biblioteca online com livros, vídeos e conteúdos interativos, que podem ser acessados via internet, por qualquer computador, smartphone ou tablet. Os conteúdos ficam disponíveis em estantes virtuais. Além de material educacional, a biblioteca reúne obras de autores como Ariano Suassuna, Oscar Wilde e Millôr Fernandes.

Já Rafael Parente, subsecretário de novas tecnologias educacionais da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, procurou responder à seguinte pergunta: como a tecnologia pode melhorar a educação no Rio? A resposta veio com a apresentação da Educopédia, projetada para que o professor deixe de ser um mero transmissor de conhecimento e passe a ser uma espécie de mentor, responsável por despertar paixões e estimular o estudante a aprender. A Educopédia é uma plataforma de aulas digitais, que pode ser usada tanto por alunos quanto por professores, com jogos, vídeos e personagens que vivem aventuras que exigem a participação do estudante.

José Castilho, secretário executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) apresentou um panorama crítico da educação num ambiente tecnológico. Castilho defendeu que os novos suportes modificam a forma de leitura. Enquanto isso, a mesa que reuniu Flavia Costa, diretora da Editora Universitaria, da Universidad Pedagógica da Argentina; Elsa Cristina Robayo, presidente da Associação de Editoras Universitárias da Colômbia, e João Carlos Canossa, diretor executivo da Editora Fiocruz e presidente da Associação Brasileira das Editoras Universitárias, do Brasil, pensou os rumos das editoras universitárias. Apesar de todos os avanços, a profissionalização do processo e o grande aumento de livros publicados, os palestrantes se perguntaram: como conseguir competir com as editoras privadas? A associação entre as diversas instituições e a troca de conteúdo entre países vizinhos foram alternativas apontadas como possíveis saídas.

Organizada pela Frankfurt Academy pela primeira vez em 2012, em São Paulo, em parceria com o LitCam, a Contec passa a acontecer em outros países este ano, e será realizada pela primeira vez durante a Feira do Livro de Frankfurt, no dia 8 de outubro.

Anúncios


Categorias:Últimas Notícias, Bienal do Rio, Literatura, Livros

Tags:, , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: